Longe da Rotina em Trindade RJ – Parte 02


Uma semana atrás, postamos um vídeo da nossa viagem para Trindade, hoje vamos contar para vocês em palavras como foi essa trip.

Fomos em três pessoas, para passar 5 dias. Saímos de São Paulo no dia 30/12 as 23h00 e voltamos para cá no dia 04/01 também as 23h00. Acabamos indo de ônibus mesmo.

Quando chegamos em Paraty no dia 31, pegamos um outro ônibus que nos levou até a vila de trindade, chegando lá pude ver o mais belo nascer do sol da minha vida. Imaginem aquele nascer do sol do filme do Rei Leão,kkkk pois é, era igualzinho ou até mais lindo. Infelizmente não consegui registrar pois a câmera estava dentro da mala, eu fui tentar revirar pra achá-la, mas não deu tempo e acabamos chegando na vila e a vista já não era a mesma.

Camping Cabeça do Índio - Trindade

Chegando e montando as barracas no Camping Cabeça do Indio

Nós ficamos no camping Cabeça do Índio, que fica pertinho da Praia do meio, praia dos ranchos e da cachoeira.

Logo no primeiro dia fomos conhecer as praias mais próximas como a praia dos ranchos, do meio, do Cachadaço e a piscina natural. Para chegar na praia do Cachadaço e na piscina natural é preciso pegar uma trilha para cada uma delas, as trilhas são bem tranquilas e não são muito demoradas, mas sofremos um pouco para enfrentá-las. Isso por que o Marcos, um de nossos amigos tinha sido atropelado um dia antes da viagem (é muito azar, fala a verdade kkkk), ele estava com uma das pernas toda ralada, quase em carne viva, mas ainda assim ele foi com a gente, e aproveitou um pouquinho de cada coisa.

Após dar essa pequena voltinha na redondeza, voltamos para o camping para preparar um ranguinho à la fogareiro de álcool. Pode parecer impossível, mas nosso fogareiro era feito com latinha de cerveja, e rendia boas macarronadas!

Trilha para o Cachadaço

Trilha para o Cachadaço – Detalhe para a perna do Marcos.

No segundo dia fomos conhecer a cachoeira e a tão fomos pedra que engole. Para chegar lá é preciso pegar outra trilha que também não é muito difícil. Chegando lá a cachoeira estava lotada, mas deu pra aproveitar bastante. A pedra que engole é bem legal, para quem nunca ouviu falar, é uma pedra gigante que fica no meio da cachoeira, onde você entra por cima dela num buraquinho, e sai logo abaixo da pedra como um pequeno escorregador subterrâneo. Registramos tudo no vídeo que você encontra lá no fim do post. Infelizmente o Marcos não pode participar da brincadeira pois o buraco era muito estreito e podia arranhar a perna machucada
dele. Mas depois ficamos um tempo na própria cachoeira onde ele pôde entrar na água e se divertir também.

No mesmo dia voltamos para a piscina natural pois no dia anterior que fomos, ficamos pouco tempo, como o Marcos estava meio ruim e não conseguia forçar muito para andar, ao invés de enfrentar as duas trilhas, voltamos de barco para a praia, que por incrível que pareça, não é tão caro quanto imaginei. O preço por pessoa é de R$ 10,00 e o cara ainda faz um pequeno tour passando por de trás das ilhas, se você for simpático.

Barco - Piscina Natural do Caxadaço

Voltando de barco – Piscina Natural do Caxadaço

Voltamos para o camping no fim da tarde morrendo de fome, e o pequeno fogareiro nos salvou novamente.

Conhecemos bastante gente no camping, pessoas muito legais, alguns viraram nossos amigos e nos falamos até hoje, inclusive já estamos vendo de marcar a próxima viagem. kkkk

Acampar tem muitas vantagens, mas o mais legal é que você acaba conhecendo bastante gente, e é incrível como no camping todos se ajudam de alguma forma. (a ultima vez que acampei tinha 15 anos então a experiencia era totalmente diferente)

Galera no Camping

Galera no Camping

Dia 31 é véspera de ano novo como vocês sabem, e como não sabíamos onde íamos passar a virada, então acabamos seguindo uma galera que a gente conheceu. Ficamos um tempo num showzinho de reggae ali na rua  mesmo, estavam tocando uns covers muito bons, até que na hora do Rappa deu um apagão geral na vila. Mas isso não desanimou a banda, eles continuaram a cantar no escuro à capela, foi muito bom. Em seguida,
como estava muito escuro e não dava pra ver quase nada, fomos em direção a praia dos ranchos onde estava rolando outro show, e acabamos passando a virada por lá mesmo. Eu que achei que não teria fogos de artifício, me enganei, teve bastante e dava pra ver bem de pertinho. A praia estava lotada, e uma das pessoas que estava com a gente passou muito mal e teve que ir de ambulância para o posto de saúde. Mas não vamos falar das coisas ruins da viagem. kkkk

No terceiro dia, já era 2014 e como viramos a noite na virada do ano, estávamos exaustos, então descansamos bastante e só fomos sair depois das 15h00. Demos uma volta na praia do meio, e ficamos um pouco por lá para descansar. Foi o dia em que menos aproveitamos.

Ainda faltavam três dias para voltarmos para a cidade grande então fizemos desses 3 dias os mais bem aproveitados, acordávamos bem cedo e íamos para algum lugar.

No quarto dia, de manhã cedo decidimos dar uma de “Bear Grylls” e nos enfiar no meio da selva pra desbravar novos territórios. kkk Então partimos, eu e o Welber. Conhecemos um lugar muito lindo atrás da ilhazinha que fica entre a praia do meio e a praia dos ranchos, fomos por meio das pedras, escalando até que chegamos no topo mais alto que dava pra ir. Ficamos lá por um tempo admirando a paisagem, ouvindo um
som e tirando fotos. A vista era bonita demais, lá de cima conseguíamos ver um pessoal fazendo stand-up, outros mergulhando, e bem ao fundo podíamos ver a piscina natural e a famosa pedra conhecida como Cabeça do índio. (Tem esse nome pelo formato dela, que lembra muito a cabeça de um índio.)

Trindade RJ

Desbravando

Na parte da tarde fomos com o pessoal que conhecemos no camping para a praia do meio curtir um pouco a praia e beber um pouco.

Voltamos para o camping e fizemos um churrasco com a galera, e então caiu a chuva. Pra falar a verdade, lá chovia todas as noites, mas era aquela chuvinha boa que lava a alma.

No quinto dia, fomos novamente para a praia mas o nosso amigo Marcos não tava aguentando andar, então ficamos um pouco com ele e depois do almoço partimos novamente para a “The adventure Time”. Eu e o Welber, saímos do camping meio dia, estava 42º e o sol nas nossas costas pelando. Mas esse rolê valeu apena pois ainda faltava 2 praias para conhecermos, e foi nesta tarde que fomos até a praia do Cepilho que na minha opinião é muito mais bonita que a praia dos ranchos, pois tem muitas pedras, e a vista é muito mais bela. No meio do caminho encontramos uma espécie de laguinho, acho que deve ter alguma fonte de água por ali que acaba caindo na praia, esse lago foi a salvação da tarde. Após andar horas no sol quente deitamos ali e descansamos sobre a água geladinha.

Trindade RJ

Desbravando 2

Depois de descansar um pouco, descobrimos que ainda havia uma praia para visitar, a praia brava. Mas tinham dito pra gente que o caminho era longo até lá. Mas como não tínhamos compromisso seguimos adiante. Andamos cerca de uma hora subindo morro até chegar na boca da trilha, chegando lá encontramos um pessoal que estava voltando e nos informaram que valeria apena enfrentar tudo isso pra chegar lá.

Então entramos na trilha, mata fechada, com lagartos e outros animais pelo caminho, andamos cerca de 15 minutos até eu ter a vista mais maravilhosa de toda a viagem. A praia Brava, Linda, impecável, e o melhor de tudo: VAZIA! Isso mesmo, tinha umas 5 pessoas no máximo em toda a praia. Era perfeita!

Praia Brava - Trindade RJ

Praia Brava

Chegamos pingando suor, deixamos as nossas coisas na areia e pulamos na água, que era limpa até demais, verdinha onde se dava pra ver o pé perfeitamente com a água no pescoço. Tiramos fotos, filmamos algumas coisas e ficamos por lá até o fim da tarde. E para a surpresa de todos, de brava é só no nome, era a praia mais calminha dali.

Vimos que o Sol estava se pondo, então resolvemos voltar pra não pegar a trilha a noite e ter o perigo de se perder por ali. Na volta, dessemos até a praia do cepilho e ficamos um pouco por ali nas pedras, esperando o sol se pôr.

Sem dúvida este foi o melhor dia da viagem, o mais bem aproveitado, e o mais gratificante.

Mergulho na Praia Brava

Mergulho na Praia Brava

Voltamos pro camping, tinha um pessoal indo embora, então nos despedimos deles. O Marcos estava entediado por ter ficado ali a tarde toda kkkkk, contamos pra ele onde tínhamos ido, ele ficou feliz por nós mas triste por conta da perna dele. =/

Mas no dia seguinte (que era o nosso ultimo dia em Trindade), tínhamos combinado de acordar bem cedo para filmar o nascer do sol, e então aconteceu um milagre, Marcos que estava impotente no dia anterior, acordou tão bem que até dançava kkkk.

Então saímos nós três, e levamos o Marcos para conhecer a praia do Cepilho e a praia brava, fizemos ele andar bastante! Mas foi recompensador, Fizemos alguns vídeos, tiramos fotos, e conhecemos também a cachoeira da praia brava, que nós não tínhamos ido no dia anterior.

Voltamos bem na hora do almoço, e estávamos famintos. Ficamos com preguiça de preparar algo, então fomos comer no restaurante da Tia Judith. Comemos bem e pagamos pouco.

Nascer do Sol na praia do Cepilho

Nascer do Sol na praia do Cepilho

Então, voltamos para o camping, desmontamos as barracas, fizemos as malas e deixamos tudo separadinho pra ir embora, mas ainda era cedo. O nosso ônibus ia sair as 23h00, e ainda era 14h30 da tarde. Resolvemos então ir com um pessoal pra praia do meio pra curtir o ultimo dia tranquilo.

Quando deu a hora de ir embora, o tempo fechou e caiu um toró, parecia até que Deus não queria que fossemos embora. Mas pegamos o ônibus para Paraty (que por sinal demorou MUITO, e quando chegou parecia o metrô na Sé no horário de pico. Mas chegamos vivos na rodoviária, ficamos por ali até as 23h esperando o ônibus. E por fim, voltamos à cidade grande.

Foi a viagem do ano, comecei 2014 muito feliz, e não vejo a hora de voltar pra Trindade e conhecer novos lugares ali por perto.

Veja também a galeria de fotos completa da viagem!

Para quem não viu o vídeo no post da semana passada, segue ele novamente:

 

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR: